Vasectomia e Reversão de vasectomia

A vasectomia é um procedimento cirúrgico com objetivo contraceptivo definitivo. Realiza-se a interrupção da passagem dos espermatozoides através da secção e ligadura dos canais deferentes. Após a vasectomia, os testículos continuam realizando suas duas funções primordiais: a produção de testosterona e de espermatozoides. Contudo, o sêmen, produzido pelas vesículas seminais e pela próstata não recebe os espermatozoides através dos ductos deferentes, e durante a ejaculação não ocorre a saída de espermatozoides.

A vasectomia é realizada através de pequenas incisões na bolsa escrotal. Normalmente é um procedimento ambulatorial, ou seja, não requer internação hospitalar.

Habitualmente é realizado através de anestesia local, associada à medicação sedativa. Pessoalmente prefiro realizar a vasectomia sempre em hospital, principalmente pela segurança do paciente. Contudo, esta cirurgia pode ser realizada em ambientes não hospitalares porém com estrutura adequada.

Vasectomia é definitiva?

Sim, a vasectomia é realizada com o intuito de ser um procedimento definitivo. Contudo, como a vida é imprevisível, pode ocorrer de em algum momento futuro, uma nova situação levar um homem a buscar construir uma nova família ou ter outros filhos. Quando um casal em que o homem realizou vasectomia no passado deseja ter filhos, há duas possibilidades: reveter-se cirurgicamente a vasectomia ou realizar métodos de reprodução assistida através de fertilização in vitro e (ICSI), obtendo-se espermatozoides através de punção e aspiração direta no epidídimo.

Posso congelar o sêmen em um banco antes de realizar vasectomia?

Sim, é possível congelar sêmen em um banco de sêmen. Isto geralmente é realizado à partir de no mínimo três amostras de sêmen coletadas e armazenadas após análise. Contudo, em geral para alguém que tem uma dúvida muito grande sobre a realização da vasectomia, em geral recomenda-se outros métodos contraceptivos (preservativo, DIU, anticoncepcionais orais ou injetáveis). O congelamento não é recomendado rotineiramente antes de realizar-se a vasectomia, sendo o principal inconveniente o custo para a manutenção. A meu ver, congelar sêmen quando se tem um certo grau de convicção de ter encerrado a fase reprodutiva parece um pouco paradoxal. Contudo, o homem que toma a decisão de submeter-se à vasectomia é que deve levar em consideração fatores extremamente subjetivos para saber se deseja congelar o sêmen, tais como, como número de filhos, estabilidade do casamento, aspectos psicológicos além de saber que o fato de ter sêmen armazenado o deixa mais tranquilo. É uma decisão extremamente individual neste contexto, e que deve ser respeitada.

Reversão de Vasectomia

A cirurgia de reversão de vasectomia consiste na reconexão através de microcirurgia dos cotos dos ductos deferentes, previamente seccionados durante a vasectomia. É uma das maneiras de se restabelecer a fertilidade para homens que realizaram a vasectomia previamente, com índices elevados de sucesso. A indicação precisa desta técnica cirúrgica deve ser considerada individualmente. A principal alternativa à reversão de vasectomia para quem deseja ter filhos são os métodos de reprodução assistida. Através de punção e aspiração de espermatozoides diretamente do epidídimo, realiza-se métodos de fertilização in vitro (ICSI) para gerar um embrião.

A escolha do método para obter-se uma gestação (reversão de vasectomia vs. Fertilização in vitro) deve ser discutida com seu médico, levando-se em consideração fatores diversos, tais como idade do casal (principalmente da mulher), número de filhos que o casal pretende ter, tempo da vasectomia, situação financeira (em geral a reversão é menos dispendiosa do que os métodos de fertilização in vitro), etc.

O sucesso após a reversão é garantido?

Em medicina, afirmar que o sucesso de um procedimento é 100% garantido geralmente não é possível, e o mesmo ocorre neste caso. Durante a cirurgia de reversão de vasectomia, já realiza-se alguns testes para saber se há espermatozoides no coto do ducto deferente a ser reconectado. Há técnicas indicadas a depender deste achado, como a vaso-vasostomia ou vaso-epididimostomia. O sucesso da reversão de vasectomia depende de diversos fatores, tais como tempo da vasectomia, técnica utilizada na vasectomia, minúcia e precisão durante a reversão, cuidados pós-operatórios, etc.