Tumores da Glândula Supra-Renal

As glândulas supra-renais (ou adrenais) localizam-se acima dos rins. Temo como função a produção de diversos hormônios essenciais para manutenção da vida. Quando é detectado um nódulo ou um tumor na glândula adrenal, além da preocupação se este nódulo é benigno ou maligno, há também a preocupação se este tumor produz de forma anômala algum tipo de hormônio.

Dentre os hormônios produzidos pelas adrenais, destacam-se o cortisol, aldosterona, hormônios sexuais e as catecolaminas (adrenalina e noradrenalina). As doenças das glândulas supra-renais podem ocasionar produção anômala destes hormônios. Denomina-se Síndrome de Cushing a produção excessiva de cortisol, enquanto a Síndrome de Addison é a baixa produção deste hormônio. Podem ainda surgir tumores que levam a um excesso de produção de aldosterona (Síndrome de Cohn), de hormônios sexuais, levando a aumento de testosterona, e tumores produtores de adrenalina e noradrenalina, os feocromocitomas. Exames adicionais de laboratório e exames de imagem (tomografia computadorizada, ressonância magnética, cintilografia) são importantes na maioria dos casos para avaliar as glândulas adrenais e definir a melhor forma de tratamento. Em geral, os tumores de adrenal devem ser controlados com medicações e podem ser acompanhados ou tratados através de cirurgia.  A escolha da melhor forma de tratamento, bem como a forma de realizar-se a cirurgia (laparoscópica, robótica ou em alguns casos excepcionais cirurgia aberta) deve ser avaliada conjuntamente com o seu médico.

Quem é o médico que trata da adrenal?

A avaliação das glândulas adrenais pode ser realizada por qualquer médico que conheça a fundo o funcionamento destes órgãos. Em geral, endocrinologistas, clínicos gerais e urologistas são os médicos que mais comumente tratam destas glândulas.