Refluxo vésico-ureteral e infecção urinária

Refluxo vésico-ureteral

As infecções urinárias estão entre alguns dos problemas de saúde mais comuns na infância. Podem ocorrer isoladamente, tendo em meninos como fator predisponente a fimose. No entanto, o principal e mais comum fator que leva à ocorrência de infecções urinárias de repetição na infância, é o refluxo vésico-ureteral. O que é o refluxo?

Normalmente a urina produzida nos rins passa através dos ureteres até a bexiga. A urina na bexiga em condições normais não reflui para os ureteres e para os rins devido à presença de uma válvula funcional. Quando ocorre retorno da urina, caracteriza-se o refluxo-vesicoureteral.

Qual o problema do refluxo?

O principal problema é a associação com infecções urinárias. Além dos problemas e riscos da infecção, há também o risco de dano e formação de cicatrizes no rim em desenvolvimento. O refluxo por si só não causa danos ao rim. Contudo, permite que eventualmente infecções danifiquem o rim.

Como diagnostica-se o refluxo?

Em uma criança com suspeita de refluxo, seja pela presença de dilatação dos rins ao ultrassom ou pela ocorrência de infecções urinárias, realiza-se exames específicos como a uretrocistografia miccional e a cintilografia. Através destes exames, conseguimos graduar o refluxo de acordo com sua intensidade, de 1 a 5.

Como tratar o refluxo?

A primeira dúvida ao se diagnosticar o refluxo vesico-ureteral é se ele deve ou não ser tratado. Em muitas situações ele não necessita de tratamento e deve ser apenas acompanhado. Em outras situações, como no caso de crianças com refluxos de baixo grau (graus 1 a 3) e infecções urinárias, deve-se instituir medidas para prevenção de infecções, como o uso de antibióticos de forma profilática (preventiva) e a realização de circuncisão em meninos.Em algumas situações específicas é necessário a realização de procedimentos cirúrgicos para correção do refluxo vesico-ureteral. Estes procedimentos podem incluir tratamentos endoscópicos através de substâncias que impedem o refluxo (eficientes em 80-85% dos casos quando bem indicados) ou através de cirurgia aberta ou laparoscópica ou robótica para corrigir a válvula anti-refluxo.

Cabe ressaltar, que em grande parte destas crianças, o refluxo resolve espontaneamente com o passar da idade. É importante apenas assegurar-se que não está ocorrendo dano aos rins, bem como assegurar que não existem outras condições ou doenças que estejam causando este refluxo, caso em que outros tratamentos podem ser necessários.