Câncer da próstata

O câncer da próstata é a forma mais comum de neoplasia maligna em homens. Estima-se que 1 a cada 6 homens irão enfrentar esta doença ao longo de sua vida. A detecção precoce do câncer da próstata depende da realização de exames de rotina. Recomenda-se que estes sejam realizados à partir dos 40 anos para quem tem algum tipo de antecedente oncológico na família, ou após os 50 anos para todo homem. Os exames de rastreamento incluem exames de sangue, exame clínico e exames de imagem. Quando há suspeita deste diagnóstico, a biópsia da próstata realizada com auxílio de ultrassom permite o diagnóstico definitivo.

O diagnóstico de câncer da próstata foi confirmado, e agora?

Caso realmente o diagnóstico de câncer da próstata seja confirmado, deve-se manter a calma. Os avanços da medicina para o tratamento desta doença progrediram muito nas últimas décadas, permitindo a cura ou o controle na grande maioria dos casos. O próximo passo é realizar o estadiamento da doença, ou seja, determinar as características, extensão e grau de comprometimento pelo tumor. Isto é realizado através de exames clínicos, laboratoriais e de imagem, como a radiografia, cintilografia óssea, tomografia computadorizada ou ressonância nuclear magnética.

Como é tratado o câncer da próstata?

O tratamento desta doença é extremamente variável, e dependerá principalmente das características do paciente (físicas, psicológicas, sociais) e do estadiamento ou extensão da doença. Nos casos em que o tumor está restrito à próstata, as principais formas de tratamento são a cirurgia (extração completa da próstata e vesículas seminais) ou radioterapia. Nos casos em que o tumor vai além da próstata, o tratamento em geral é realizado através de medicamentos hormonais e/ou cirurgia.

O que é a cirurgia robótica para câncer da próstata?

A prostatectomia radical é a cirurgia de retirada da próstata. Esta cirurgia evoluiu muito durante os anos de 1980 e 1990, porém algumas limitações técnicas persistiam, principalmente devido à dificuldade do cirurgião para realizar a cirurgia na pelve do homem. O robô Da Vinci foi desenvolvido nos anos 2000 para auxiliar e otimizar estes procedimentos. Apresenta como principais vantagens permitir que a cirurgia seja realizada com menor sangramento, menor dano aos nervos da pelve e portanto recuperação mais rápida de continência urinária e potencia sexual. A principal desvantagem ainda é o custo, ainda elevado, que impossibilita o acesso de todos a esta tecnologia.

Tenho câncer da próstata, precisarei fazer quimioterapia?

A quimioterapia é utilizada no câncer da próstata em situações bastante específicas e infrequentes. Portanto, quem teve um câncer recém-diagnosticado certamente não irá fazer quimioterapia. Além disto, grandes investimentos em novos medicamentos têm sido realizados, e nos últimos anos novas medicações foram desenvolvidos e lançados quase que semestralmente, com melhoras significativas no tratamento desta doença.