A falta de BCG no mundo

Até 2014 a dose de imuno-BCG em países em desenvolvimento custava cerca de US$ 0,16 a US$ 1,00. Atualmente o custo aumentou bastante, e está entre US$100-200. A falta de BCG tem ocorrido por uma somatória de distintos fatores, mas basicamente tem como fator único o baixo custo da medicação levando a pouco estímulo à produção. Para se ter uma idéia da heterogenicidade de motivos, listamos abaixo alguns fatores que contribuem para a atual falta de BCG no mercado mundial: 

– em 2011 a planta da Sanofi Pasteur em Toronto foi fechada pelo FDA devido a problemas fitossanitários (ninhos de pássaros, ferrugem em instalações elétricas, etc). Posteriormente em 2014 foi autorizada a reabrir. 

– O instituto Butantan, referência na produção de BCG, inclusive com patentes depositadas sobre aprimoramentos da BCG (Scientific Reports volume 7, Article number: 2109 (2017) teve seu laboratório de produção progressivamente sucateado e finalmente fechado, levando à restrição da produção nacional pelo instituto Ataulpho de Paiva, no Rio de Janeiro.

– a Fundação Ataulpho de Paiva (FAP)  é uma ONG sem fins lucrativos de utilidade pública que produz a BCG. No entanto, em  2016 a ANVISA suspendeu a fabricação de BCG pela FAP por considerar que a empresa não cumpria com os requisitos técnicos de boas práticas estabelecidos por suas resoluções. Desde então, a produção nacional não foi normalizada, e tem sofrido constantes faltas 

Como obter BCG?

Apesar das dificuldades momentâneas que temos enfrentado, é possível na presente data obter BCG para tratamento no Brasil. Contudo atualmente o custo está mais elevado, pois a medicação precisa ser importada. Em um levantamento realizado, os preços para importar uma dose da medicação  variaram de R$ 450,00 a cerca de R$ 4.000,00. Ou seja, o custo de um ciclo de manutenção – 6 doses – é de cerca de R$ 2.700,00. Há diversas empresas que realizam a importação destas medicações, em geral em um período de 3-4 semanas.